29 janeiro 2011


Azul

Nos teus olhos mergulho,
desfragmentando-me em centelhas,
flutuando no cosmo azul.
Sou livre,
etérea,
serena...
Sou felicidade plena.

Catarina Poeta

1 comentários:

natsaude disse...

Mas o azul do céu é apenas um reflexo do negro do infinito. Negro porque é profundo, assim como negro são teus olhos e profundo é teu ser. Mergulhar nessa imensidão é acessar o nirvana e sentir que o eterno da vida está ali logo em tua pupila brilhante.

Postar um comentário