15 julho 2010


VÔO

Tuas asas esbarram na liberdade,
na interrogação do fim da linha,
nas palavras dos lábios de quem te ama.
Tuas asas se encolhem no abraço,
nas mãos que seguram as tuas,
no olhar que aprisiona os teus.
Tuas asas alçam vôos distantes
com uma brisa gélida no rosto,
nas nuvens mais altas
que flutuam em teus neurônios.
Tuas asas abertas são horizontes,
onde eu desejo voar.


Catarina Poeta

3 comentários:

Ana Claudia disse...

Tuas asas abertas são horizontes...

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, o seu poema é lindo. Adorei a parte final:
"Tuas asas abertas são horizontes,
onde eu desejo voar."
Bom fim de semana.
Beijos.

Ariane Marques disse...

Adorei os livros..Agora sei que tenho uma amiga escritora. Amei conhecer mais do seu trabalho. Parabéns!

Postar um comentário