10 agosto 2009

PRAZO

 Estou guardando
uma faísca no olhar,
um beijo molhado na boca,
um arrepio intenso na nuca,
um tremor no corpo,
um suor no rosto,
um delírio,
a minha entrega...
Até o amanhecer.


Catarina Poeta

2 comentários:

honey, disse...

Sinceramente nunca tinha visto assim nenhum blog de uma pessoa que escreve poemas, mas gosto tantooo daquilo que escreve.

Fabiana disse...

Guardar faz bem quando tem alguém para receber. Agora guardar, guardar e ver o tempo passar e ninguém chegar para reclamar o que é seu, dói.

Postar um comentário