23 setembro 2008

PALAVRAS SILENCIOSAS

Um homem, perdido em sentimentos viaja na imagem vazia do quadro e pensa(...)
"Estive pensando em muitas coisas nas quais eu gostaria de escrever-te:
Meus sentimentos mais profundos, minha frase de sorrisos, minhas letras em olhares que te lanço, minha ternura na reticência...
Mas, desisti de escrever-te! Sei que não saberás traduzir o meu intenso amor através das linhas. Se não soubeste fazê-lo em minha presença, como então, poderia traduzí-lo em papel branco?
À você, mais do que a outra, entrego minha alma, minha fonte de versos latentes, minha outra face, a verdadeira que poucos souberam entender. Somente por você oculto minhas lágrimas em sorrisos que espalho pelo dia".
E, calado, rendeu-se ao silêncio.

Catarina Poeta

4 comentários:

railer disse...

às vezes é melhor ficar calado mesmo.

mariam disse...

intenso! este texto.

bom fim-de-semana

um abraço outonal
um mimo
e um sorriso :)

mariam

O Profeta disse...

Olhos brilhantes maré tardia
Cabelos rebeldes em desalinho
Pés descalços no, frio barro
Um berlinde atirado ao caminho

Um bando de alegres pardais
Ou um domador de tempestades
Apenas um pássaro charlatão
Dividindo o pão em metades


Bom domingo



Mágico beijo

Ana Claudia disse...

"...e, como não é a palavra o que tem importância..."
Clarice Lispector, do trecho "Uma experiência".

Beijo,
Ana Claudia

Postar um comentário