12 agosto 2008

AUSÊNCIA

No instante em que te busco,
rebusco pensamentos,
arrumo sentimentos,
ancoro-me no meu refúgio.
Fujo de coisas que revivo,
encontro-me em desejos
que ainda quero ter.
Alterno fugazes sombras
que retomam teus instantes...
Somente tua ausência física
me transporta ao vazio
Catarina Poeta

5 comentários:

railer disse...

a saudade também pode ser boa. e muitas vezes nós mesmos somos nossa melhor companhia.

mariam disse...

muito bonito!
passei p'ra deixar um "olá"

fique bem.

o meu "dolce fare niente" começou ~~~~

um grande sorriso :)

mundo azul disse...

Bonito poema!!!

Beijos de luz e uma semana muito feliz!!!

Lyra disse...

Voltei de férias e vim feliz!
Há sol dentro de mim
Respiro todas as cores
Há Verão, há flores
Como é bom sentirmo-nos assim!

E é bom voltar a este espaço.

Aparece!

Um grande beijinho e até breve.

;O)

Dois Rios disse...

A ausência é uma casa sem paredes. É um vazio tão vasto que não comporta nada que não seja o nada que ficou.

Beijos, minha querida,

Inês

Postar um comentário