15 julho 2008

ONTEM

O cântaro está rachado
e o ladrilho quebrou.
Não mais importa...
De algum modo,
Ontem, tudo passou.
Minhas asas encolhidas
abriram-se novamente,
e alcei vôo...
Liberta deste amor

Catarina Poeta

10 comentários:

Menina do Rio disse...

Há momentos em que é preciso partir sem olhar pra trás...

Um beijinho

Pearl disse...

...enfim livre...
beijo

Nilson Barcelli disse...

Quando o amor é um peso...
Continua a voar, gosto de te ler.

Beijinhos.

Justine disse...

às vezes é preciso destruir, para recomeçar...
Que o teu vôo seja belo e longo!

P.S.: amei a tua cidade, e gosto muito de Niemeyer. Obrigada pela visita.

Paradoxos disse...

Um texto sugestivo que remete ao recomeço e a continuidade... Te gostei e me gostei nas tuas belas palavras!

Ana disse...

É um vôo de liberdade e é tão sentido que deve levar á felicidade!

O Profeta disse...

A magnificensa da palavra mora em ti...



Doce beijo

Lerivan Ribeiro disse...

Não importa o que fizemos ontem, podemos fazer melhor hoje...

Gerlane disse...

E não existe vida sem liberdade!

Beijos!

Carlos disse...

Olá,

deixa-te voar novamente , em liberdade e em poesia, até que um porto de abrigo , calmo e sereno , te abrace em paixão....

:)

Postar um comentário