04 outubro 2016

FAÇA SEU AUTO-EXAME!

0 comentários

01 abril 2016

"Já raiou a liberdade no horizonte do Brasil"

1 comentários


Pela democracia, 
Pela liberdade religiosa,
Pela liberdade de expressão,
Pela liberdade de manifestação cultural,
Pela força e grandeza da miscigenação 
que formou o povo brasileiro...

CATARINA POETA


14 novembro 2015

Paz para França e toda Humanidade!

0 comentários

19 maio 2015

2 comentários


ELÍPTICA

Para onde caminha a humanidade?
Para o abismo sombrio da falta de liberdade,
ou para o desespero da ausência de amor e de esperança...
Para onde caminha a desesperança?
Para o desalento de um sonho
perdido de uma criança pela bala que tirou a vida
de quem lhe deu a vida,
ou para o desenrolar de uma lágrima do adeus
acovardado no entardecer em chamas...
Para onde caminha a desigualdade?
Para o terrorismo que afronta
o mundo com sua barbárie,
ou para o racionalismo duvidoso das nações que não
dá fim a tal atrocidade...
Para onde caminha nossa humanidade?

CATARINA POETA

11 janeiro 2015

"JE SUIS CHARLIE"

0 comentários

Vamos combater o terrorismo.
Viva a liberdade! viva a paz!

Nous allons lutter contre le terrorisme.
Vive la liberté! Vive la paix!

We will fight terrorism.
Long live freedom! live peace!

09 agosto 2014

2 comentários
Catarina Poeta


Com a palavra saudade, que só há no idioma português, defino meu sentimento atual pelos dias que passei com meu esposo em Portugal, terra mãe de grande beleza, infinitos encantos e inesquecíveis sabores. 
Há poesia nos fados, há doçura nos gestos e há sorriso no olhar do povo de Portugal. Uma pérola da Europa!



CHEIRA A LISBOA
(Amália Rodrigues)


Lisboa já tem Sol e cheira a Lua
Quando nasce a madrugada sorrateira,
E o primeiro eléctrico da rua
Faz coro com as chinelas da Ribeira.

Se chove cheira a terra prometida
Procissão tem o cheiro a rosmaninho
Nas tascas das vielas mais escondidas
Cheira a iscas com elas e a vinho.

Um craveiro numa água furtada
Cheira bem, cheira a Lisboa.
Uma rosa a florir na tapada
Cheira bem, cheira a Lisboa.

A fragata que se ergue na proa,
A varina que teima em passar,
Cheira bem porque são de Lisboa,
Lisboa tem cheiro de flores e de mar.

Lisboa cheira aos cafés do Rossio
E o fado cheira sempre a solidão
Cheira a castanha assada se está frio
Cheira a fruta madura quando é Verão.

Os lábios têm o cheiro de um sorriso
Manjerico tem o cheiro de cantigas
E os rapazes perdem o juízo
Quando lhes dá o cheiro a raparigas.

Um craveiro numa água furtada
Cheira bem, cheira a Lisboa.
Uma rosa a florir na tapada
Cheira bem, cheira a Lisboa.

A fragata que se ergue na proa,
A varina que teima em passar,
Cheira bem porque são de Lisboa,
Lisboa tem cheiro de flores e de mar.






26 junho 2014

0 comentários

VISITANDO A TERRA DE PESSOA

Finalmente irei conhecer a linda Lisboa, terra do mais universal dos poetas portugueses, Fernando Pessoa, do qual sou grande fã. Aos amigos leitores lusitanos que tem estado comigo no decorrer destes anos por meio do blog, informo que lá estarei, acompanhada de meu esposo, no período de 22 a 27 de julho deste ano. Quem desejar me conhecer, entre contato através do email: catarinapoeta@gmail.com que terei imensa alegria em vos abraçar pessoalmente.


ALÉM MAR

Quando estou longe de ti,
e, em ti fico a pensar,
lembro-me deste céu azul
e do lindo azul do teu mar,
sinto no peito um vazio imenso
e um desejo de retornar,
para entregar em teus braços
o meu corpo inteiro,
terra linda que escolhi amar.

                                              Catarina Poeta